Variáveis e Constantes

No artigo anterior da série aprendemos sobre os tipos de dados em algoritmos. Confira agora neste artigo um pouco sobre variáveis e constantes.
PSEUDOCODIGO bubble sort switch case

Iai galera!! Tudo bem com todo mundo?? No segundo artigo da série aprendemos sobre os tipos de dados, agora, neste artigo, vamos aprender um pouco sobre variáveis e constantes.

Variáveis

Basicamente, uma variável é um tipo de dado armazenado em computador. Chama-se variável pois o valor contido nesse espaço de memória do computador varia com o tempo, não é um valor fixo. Como bem sabemos, nosso computador utiliza memória RAM para armazenar dados temporários e essa memória é utilizada também pelos nossos programas.

Quando declaramos uma variável em um programa, estamos na verdade definindo e reservando um espaço na memória para armazenar o valor que aquela variável conterá em determinado tempo de execução do programa.

Muito difícil??? Vamos exemplificar então pra facilitar. Suponha que você precise fazer um programa que solicite ao usuário dois números inteiros, some esses dois números e apresente o resultado da soma para o usuário.

Para resolver esse problema teremos de DECLARAR duas variáveis do TIPO inteiras. Vamos supor que essas duas variáveis se chamem X e Y. Além disso, você precisará de uma terceira variável para armazenar o resultado da soma. Vamos chamar então essa variável de SOMA. Sendo assim, teremos o seguinte algoritmo passo a passo:

Não se preocupe com alguns detalhes desse algoritmo, voltaremos nele mais pra frente. O que é importante no momento é entender como funcionam as variáveis. Veja, o programa solicita ao usuário para digitar os valores de X e Y.

Nesse instante é impresso na tela a mensagem que está dentro do parênteses do comando ESCREVA e, em seguida, o usuário digita um valor usando o teclado. No momento em que o usuário digita o valor desejado, esse valor DECIMAL é “passado” para a variável X, por meio do comando LEIA. Lembre-se, a variável X é um espaço de memória reservado, com o tamanho de bits para o tipo de dado INTEIRO. O mesmo acontece com a variável Y.

Esses valores ficarão armazenados nas variáveis enquanto nenhum outro valor for digitado para eles, ou enquanto o programa estiver em execução. Isso significa que depois que o programa terminar de executar, esses valores deixarão de existir, assim como as variáveis, e o espaço de memória que estava reservado será também liberado.

Então, quando alguém digita algo no teclado, isso pode ser obtido por um comando da linguagem de programação, armazenado em uma variável específica, e depois manipulado no resto do programa. A cada vez que você executar esse programa, essas variáveis terão valores diferentes, por isso são variáveis, são valores que mudam com o tempo.

Importante

Você não deve digitar um valor para armazenar em uma variável que não seja do tipo solicitado. Se o usuário digitar uma letra ou palavra ao invés de um número, em nosso exemplo, o programa retornará um erro pra você, provavelmente, ele travará, ou fechará sozinho.

Isso é um erro que deve ser previsto pelo programador, pois existe a possibilidade sim do usuário digitar coisas erradas no teclado. É por este motivo que muitas linguagens de programação oferecem bibliotecas, e recursos, para o tratamento de erros.

Dessa forma, você consegue obrigar o usuário a digitar o que de fato é solicitado. Se por um acaso o usuário digitar uma letra ao invés de um número inteiro, no caso do nosso exemplo, ao invés de travar ou finalizar, o programa retornará para o usuário que ele deve digitar um número inteiro, e então solicitará novamente para ele.

Isso se repetirá até que o usuário digite corretamente a informação que está sendo solicitada no programa. Lembro que isso deve ser programado por você! Você é quem deve prever e tratar esse tipo de erro em seu programa. Fique atento.

Constantes

Uma constante é uma variável!! Sim, é uma variável no sentido de que uma constante também reserva um espaço de memória para o tipo de dado que manipulará. Entretanto, uma constante armazenará um valor ÚNICO, um valor que NÃO mudará com o tempo de execução do programa.

Suponha que você precise trabalhar com o número PI, que é um valor fixo de aproximadamente 3.14. Você pode simplesmente declará-lo e utilizá-lo em todo o seu programa. Veja:

Uma constante chamada PI foi declarada no início do algoritmo e, posteriormente, usada para realizar uma operação de multiplicação. Portanto, lembre-se: constantes e variáveis são espaços de memória reservados para o tipo de dados que você deseja trabalhar. Constantes são valores fixos que você utilizará em seu programa e variáveis são valores que precisam variar durante o tempo de execução do seu programa.

Nomes de variáveis e constantes

Além de tudo o que já foi dito, tem mais algumas coisinhas que vocês precisam saber. Nós sempre precisaremos declarar variáveis em nossos programas. Então, declarar variável é um termo importante em computação. Outro termo relevante é o IDENTIFICADOR. Um identificador é o nome que damos às nossas variáveis.

A sintaxe de declaração pode ser diferente para muitas linguagens de programação. Por exemplo, em Java fazemos assim: String nome, em que STRING é um TIPO DE DADO e NOME é o nome da variável, ou seja, o seu IDENTIFICADOR.

Algumas linguagens também aceitam letras minúsculas e maiúsculas, outras só minúsculas, é o que chamamos de sensitive case. Java, por exemplo, é uma linguagem sensitive case, isto é, aceita que você defina nomes de variáveis com letras maiúsculas e minúsculas.

Uma dica que dou para vocês é que procurem dar nomes de variáveis o mais próximo possível do problema que estão resolvendo. Por exemplo, se você vai calcular a área de um triangulo, dê os nomes das variáveis iguais aos definidos na geometria  A = (b * h) / 2. Use b e h para obter os valores de altura e largura, e A para armazenar o resultado da operação matemática. Fica muito mais fácil manipular e, principalmente, dar manutenção em um programa assim do que em um programa que você não sabe o que os nomes das variáveis significam (pra que elas servem!).

Conclusão

Assim terminamos mais um artigo. Se você ainda tem dúvidas, por favor, não hesite em entrar em contato! Deixe sua pergunta nos comentários. No próximo artigo vamos aprender um pouco sobre como os algoritmos trabalham com operações e expressões!! Até pessoal, muito obrigada.

Outros artigos da série

<< Tipos de dados para uso em algoritmosOperações Aritméticas >>

Atuo como Professora de Informática e Computação desde 2001. Desde 2009 venho atuando como Docente no Ensino Superior em diversos cursos de Graduação e Pós Graduação Lato Sensu, tanto presenciais, quanto semipresenciais e à distância. Ministrei várias disciplinas onde ensino os estudantes a desenvolverem plataformas e sistemas computacionais. Orientei vários trabalhos acadêmicos, desenvolvi inúmeros materiais didáticos, trabalhei com pesquisa, ensino, extensão e inovação. Também ministrei palestras em vários eventos. Comecei meu Doutorado na área de Machine Learning - mais especificamente na area de Multi-label Classification - na UFSCar em 02/2019 e devo terminar em 01/2023. Também estudo canto, jogo vôlei, sou geek, nerd, otaku e gamer (twitch.tv/cissagatto)

Notificações
Notificar
guest
8 Comentários
recentes
antigos mais votados
Inline Feedbacks
View all comments
ruan
ruan
27/04/2021 16:42

Elaine, esse programa que tu coloca os códigos é o Visualg?

Leonardo Martinelli
Leonardo Martinelli
17/10/2020 19:50

2020 e ainda ajudando o povo. Gostei muito, uma linguagem muito acessível e com bons exemplos. Parabéns

Rubens
Rubens
04/03/2018 14:56

Obrigado!
Esta sendo de grande utilidade esta pagina.
Parabéns a queles(as) que contribuiram para que este conhecimento esteja aqui.

Souza
Souza
22/10/2016 16:02

Bom artigo. De fácil entendimento.
Nas horas mais tranquilas da minha vida será um imenso prazer acompanhar os artigos.

WEBINAR

Imagens de Ultrassom: Princípios e Aplicações

DATA: 26/10 ÀS 19:30 H