Documentário sobre Shenzhen do Hackaday: THE FACTORY OF THE WORLD

O site americano Hackaday, talvez o maior site sobre hardware do mundo, fez um documentário sobre como as coisas funcionam em Shenzhen. Vale MUITO a pena ver, principalmente quem trabalha com produção de equipamentos eletrônicos.

 

Algumas perguntas foram respondidas durante o documentário:

  • Quais os benefícios de se ter uma startup de hardware em Shenzhen? 
  • Quais os benefícios de se estar em uma aceleradora de idéia e as possibilidades dessa aceleração se transformar em um produto elegível a Crowdfunding em Shenzhen?
  • Quais as facilidades de transformar uma ideia em produto eletrônico, se você já está próximo do local onde é feita a fabricação e próximo a cadeia de fornecimento de produtos?
  • O quão difícil é abrir uma empresa em Shenzhen?
  • E os hardwares que chegam às fábricas? Existe segredo nos arquivos ou elas compartilham informação?
  • Como o chinês lida com erros, com fracassos?

 

Afinal, a maioria dos eletrônicos do mundo são fabricados naquela área, e o contato com a fabricação de placas de circuito impresso, montagem, injeção, toda a logística fica mais fácil se você está lá.

 

Em uma das passagens, o entrevistado diz que, apesar de ser possível se comunicar em inglês, é muito importante que tenha sempre contigo um tradutor que o acompanhe caso for andar por diferentes fábricas e fornecedores, caso seu chinês não for afiado.

 

Enfim, a imagem que se passa do documentário é que Shenzhen é a melhor cidade do mundo para se estar caso se tenha uma empresa que trabalha com hardware, toda a cadeia de suprimentos está ali, os dispositivos eletrônicos, as empresas que fabricam, montam, testam, desenvolvem software... E no documentário isso é reafirmado por diversas pessoas entrevistadas, inclusive o criador do Arduino, Massimo Banzi.

 

Enjoy the video (Infelizmente não há legendas e o vídeo está em inglês):

 

NEWSLETTER

Receba os melhores conteúdos sobre sistemas eletrônicos embarcados, dicas, tutoriais e promoções.

Obrigado! Sua inscrição foi um sucesso.

Ops, algo deu errado. Por favor tente novamente.

Licença Creative Commons Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

Thiago Lima
Apaixonado por sistemas digitais e circuitos eletrônicos, ja contabilizo 16 anos trabalhando com desenvolvimento de produtos eletrônicos. Formado na USP Sao Carlos, com mestrado em Engenharia Elétrica no Rochester Institute of Technology pelo CsF, atualmente lidero boa parte das operações do Embarcados, buscando levar conhecimento de sistemas eletrônicos para o Brasil. Experimentar o mundo das startups nos EUA foi transformador. La fui cofundador de uma startup de tecnologia chamada Una, sendo acelerado e incubado por um programa especial de Startups no RIT. Ao final, recebemos um prêmio de melhor startup do programa. No Laboratório Hacker de Campinas sou um dos entusiastas de novas tecnologias e apoio iniciativas da comunidade. Tambem participo de atividades comunitarias e sou um dos responsáveis pela Plataforma Ituiutaba Lixo Zero, onde escrevo regularmente artigos sobre redução de resíduos. Sou sonhador mesmo e quero acender a luz ?

3
Deixe um comentário

avatar
 
1 Comment threads
2 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
2 Comment authors
Thiago LimaDiego Castro Recent comment authors
  Notificações  
recentes antigos mais votados
Notificar
Diego Castro
Visitante
Diego Castro

Muito bacana o documentário. Estão muito a frente da nossa realidade em competitividade, visão de negócios e habilidade em criar ecossistemas. "O produto é apenas uma pequena parcela do negócio". Em contrapartida a aversão a falhas me chamou muito atenção. Culturas completamente diferentes que se complementam de alguma maneira.

Thiago Lima
Visitante

Diego, é mesmo! Toda a cadeia de suprimentos é encontrada no mesmo lugar! A aversao a falhas Mina a criatividade? Talvez né?

Diego Castro
Visitante
Diego Castro

Talvez mine... Mas em um ambiente tão propício aos negócios como lá o risco de falha total é bem menor do que em outros lugares como aqui no Brasil....