Particle e Google Maps: Geolocalização nos dispositivos IoT

Agora os dispositivos celular e wi-fi da empresa Particle IO podem ser localizados sem a implementação de um módulo GPS, pois nesta semana a Google anunciou a integração de seus serviços de geolocalização (Google Maps) com os da Particle IO. Basta apenas uma única linha de código e pronto, os dispositivos Electron (Celular 2G e 3G) e Photon (Wi-Fi) têm acesso ao banco de dados geoespacial do Google, como ilustrado de maneira genérica pela figura 1.

 

Particle e Google Maps - Fluxo de transmissão de dados entre servidores e device
Figura 1: Fluxo de transmissão de dados entre servidores e device

 

De acordo com publicação no site Business Wire, o vice presidente da Particle, Richard Whitney afirma que esta integração dos serviços permite que a Particle forneça um recurso de alto valor a seus clientes com uma atualização de software OTA (Over-The-Air) e Google Cloud. A figura 2 ilustra um exemplo de aplicação de tal integração, sendo os dados de localização (latitude e longitude) demonstrados em um display OLED. O número 462.0 significa o raio incerteza em metros.

 

Exemplo de aplicação da integração da Particle com o Google Maps
Figura 2- Exemplo de aplicação da integração da Particle com o Google Maps

 

Segundo o arquiteto de soluções da API do Google Maps, Ken Nevarez: “ Isso significa que você não precisa mais investir em módulos de GPS caros e com fonte de energia para saber a localização de seus dispositivos e sensores IoT. Como alternativa, você também pode usar as APIs do Google Maps em conjunto com os sistemas GPS existentes para aumentar a precisão e fornecer dados de localização mesmo quando o GPS falha, como geralmente acontece em ambientes fechados.

 

Os dados acabam tornando-se mais robustos, quando plataformas IoT sabem suas respectivas localizações. Para colaborar com tal afirmativa, o escritor do site Business Wire, Jan Jahosky, relata que: “Ao construir um produto na Particle Photon, a API de geolocalização cria uma experiência de instalação fácil e sem falhas. Os dispositivos da Particle podem então auto configurar o fuso horário, sintonizando às faixas disponíveis da transmissão e conectando aos fornecedores de serviços regionais.”

 

Para saber mais sobre a parceria, confira os artigos citados na referência. Caso tenha sua Particle e deseja por em prática a nova possibilidade de aplicação, acompanhe a documentação clicando aqui. Até o próximo artigo !

 

 

Referências

 

[1] - Google Maps APIs Blog

[2] - Business Wire 

[4] - eweek

[5]- Particle Docs

NEWSLETTER

Receba os melhores conteúdos sobre sistemas eletrônicos embarcados, dicas, tutoriais e promoções.

Obrigado! Sua inscrição foi um sucesso.

Ops, algo deu errado. Por favor tente novamente.

Licença Creative Commons Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

Pablo Melo
Tecnólogo em Eletrônica Automotiva pela Fatec Sorocaba. Mestrando em Engenharia Elétrica pela UNESP Sorocaba, com ênfase em Sistemas Mecatrônicos. Desenvolve estudos direcionados para aplicações do protocolo OPC UA voltadas para a Internet das Coisas Industrial, Indústria 4.0 e RAMI 4.0. Ama pesquisar tecnologias sobre sistemas embarcados, sempre acompanhado por uma boa dose de café.

Deixe um comentário

avatar
 
  Notificações  
Notificar