ODROID-W

odroid-w

Ultimamente temos presenciado um boom de SBCs (Single Board Computers) destinadas ao público de DIY e hobbyistas. Os artigos da série ARM para hobbyistas do Cláudio Sampaio mostram muito bem isso, e merecem atenção. Não podemos nos esquecer da Raspberry Pi Modelo B+Intel Galileo Gen 2 e Raspberry Pi CoM, que foram lançadas após a escrita dessa série. Dado esse grande universo de SBCs, foi preparada uma pesquisa pela The Linux Foundation e o LinuxGizmos.com para melhor entender as principais características buscadas pelo público numa placa. E não é que surgiu mais uma? Agora é a vez da ODROID-W!

O que é a ODROID-W e por que ela foi criada?

De repente aparece uma nova SBC e não sabemos o porquê. Algumas têm motivos muito bem claros, tal como a Raspberry Pi, focada para uso educacional, com o objetivo de democratizar a tecnologia. Outras surgem simplesmente para apresentar um novo SoC e ser usada como plataforma de desenvolvimento, como é o caso da BeagleBone Black. E qual a história da ODROID-W?

A Hardkernel, no começo de 2014, tinha como objetivo desenvolver, para seus parceiros, protótipos de dispositivos "wearables" e focados em IoT (Internet Of Things). Algumas alternativas foram estudadas:

ODROID-U3

A ODROID-U3 é uma placa já fabricada e comercializada pela Hardkernel e que faz uso da CPU Exynos4412 Prime de 1,7 GHz, Cortex-A9 Quad-core com uma memória LPDDR2 PoP (Package on Package) de 2 GB. Processamento fenomenal, mas isso causava um problema: consumo elevado de energia. Dessa forma, não é adequada para soluções "wearables". No entanto ela tinha uma grande vantagem: seu reduzido tamanho, de 83 x 48 mm.

Raspberry Pi

Já que a ODROID-U3 foi descartada justamente pelo seu consumo de energia, uma outra alternativa seria a Raspberry Pi, que já possui um suporte interessante para seu BSP Linux e uma comunidade enorme de adeptos. Mas como o mundo não é perfeito, ela tem um probleminha: seu tamanho "grande" para dispositivos "wearables".

Tendo em vista as vantagens e desvantagens de cada uma das alternativas estudadas, a Hardkernel fez a seguinte pergunta aos seus engenheiros: Por que não criar uma placa com o melhor de cada uma delas? E não foi isso o que aconteceu!? Tomou-se o hardware consagrado da Raspberry Pi, e o inseriu dentro de uma PCB de dimensões 60 x 36 x 7 mm. Dessa forma foi criada uma placa Raspberry Pi de dimensões reduzidas, que já nasce com suporte do kernel Linux, com uma infinidade de aplicações disponíveis e com uma diversidade de periféricos/placas de expansão suportados. A essa nova SBC foi dado o nome de ODROID-W, concebida para aplicações tal como a da figura abaixo, um relógio inteligente. Um detalhe é muito importe: é usado o mesmo SoC da Broadcom, BCM2835, e, com isso, todo software compilado para a Raspberry Pi pode ser executado na ODROID-W. Um exemplo é a distribuição Raspbian.

201407281304325576

O que significa a letra W do nome da placa?

  • Wearable device development;
  • Widely applicable Internet of Things (IoT) development;
  • Workable DIY electronics prototyping.

Veja como soldar um conector USB na placa e usar a ODROID-W com a imagem Raspbian no vídeo abaixo:

Diferenças entre a ODROID-W e a Raspberry Pi

A placa Raspberry Pi foi usada como base. Para haver redução no tamanho final da ODROID-W, algumas mudanças foram realizadas com relação à placa original, e outros periféricos foram mantidos. Veja a seguir:

Semelhanças:

  • Conector micro USB client;
  • Conector USB Host (não soldado na placa);
  • Barramento de 26 pinos de GPIO compatível com a Raspberry Pi;
  • Conector de câmera MIPI-CSI;
  • Porta micro-HDMI (a Raspberry Pi possui uma porta HDMI);
  • Conector micro-SD (a Raspberry Pi A/B possui um conector SD, mas o modelo B+ possui um conector micro-SD);
  • Todo software disponível para a Raspberry Pi original é executado na ODROID-W.

Diferenças:

  • Não é disponibilizado o conector Ethernet 10/100 Mbps;
  • O conector MIPI-DSI, para LCD, foi removido;
  • Foi disponibilizado na ODROID-W um conector para eMMC;
  • Adicionados 26 pinos na placa, o que totaliza 32 GPIOS disponíveis, e dois conversores analógio-digital de 12 bits, ADC;
  • Conector de bateria, que já existia na ODROID-U3, foi adicionado na ODROID-W;
  • PMIC com RTC (precisa de bateria externa), carregador de bateria de Li-ion e desligamento por temperatura;
  • Conversor DC/DC step-down para maior eficiência de energia;
  • Conversor DC/DC step-up para 5 V (USB host e HDMI) a partir de uma bateria de Li-Polymer.

Veja abaixo o diagrama de blocos e fotos da parte superior e inferior da placa para melhor entendimento das mudanças com relação à Raspberry Pi.

odroid_w_block_diagram

odroid-w-details-top

odroid-w-details-bottom

Para quem estava acostumado com a interface Ethernet e mais portas USB, pode ser comprada uma placa de expansão, como esta.

Documentação da ODROID-W

Foi criado um Wiki da ODROID-W, onde podem ser encontradas informações muito valiosas, tal como compilar o kernel Linux para a placa. Além disso foi disponibilizado o seu esquemático. Veja também o Wiki das placas ODROID que a Hardkernel comercializa aqui.

Preço e onde comprar

O preço da ODROID-W é de U$30.00 e pode ser comprada no próprio site da Hardkernel, aqui. É muito diversificado o portfólio de placas de expansão e acessórios que a empresa oferece para as suas SBCs. Isso facilita muito a vida dos hobbyistas e makers.

Eu achei muito interessante a alternativa encontrada pela Hardkernel, mas o que mais me desanimou foi a ausência de um conector Ethernet 10/100 Mbps.

O que acharam dessa placa? Compartilhem suas impressões!

Referências

Página da ODROID-W

ODROID Forum

ARM para hobbyistas Parte 1 - Placas de desenvolvimento para hobbyistas

ARM para hobbyistas Parte 2 - Еconomizando ao máximo: "Mini PCs" com Linux

ARM para hobbyistas Parte 3 - Аs decepções de 2013, tabela comparativa de todos os dispositivos, recomendações e conclusão

 

NEWSLETTER

Receba os melhores conteúdos sobre sistemas eletrônicos embarcados, dicas, tutoriais e promoções.

Obrigado! Sua inscrição foi um sucesso.

Ops, algo deu errado. Por favor tente novamente.

Licença Creative Commons Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

Henrique Rossi
Engenheiro eletricista com ênfase em eletrônica e pós-graduado em Engenharia de Software. Comecei um mestrado, mas o interrompi. Especialista na área de sistemas embarcados, com mais de 12 anos de experiência em desenvolvimento de firmware (sistemas baremetal e baseados em RTOS) e Linux Embarcado. Atualmente sou administrador do site Embarcados, trabalho num fabricante de Set-Top Box e atuo como consultor/desenvolvedor na área de sistemas embarcados.

5
Deixe um comentário

avatar
 
1 Comment threads
4 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
2 Comment authors
Henrique RossiCarlos Queiroz Recent comment authors
  Notificações  
recentes antigos mais votados
Notificar
Carlos Queiroz
Visitante
Carlos Queiroz

Impressionante!

Henrique Rossi
Visitante

Muito dinâmico esse mercado de SBCs, não Carlos? Eu adorei a ODROID-U3...compacta, alto processamento, USBs, Ethernet. Poucas GPIOs, é verdade, mas não me importo! E já vem com o conector da porta serial!

Abraços,
Henrique

Carlos Queiroz
Visitante
Carlos Queiroz

Realmente Henrique este mercado de SBCs está muito dinâmico ultimante. Eu não conhecia o ODROID-U3 fiquei impressionado com as configurações, mas não achei muito convidativo o preço de $ 90 (incluso frete).

Mesmo sem conector Ethernet e todo o poder de processamento do ODROID-U3, vejo milhares de aplicações possíveis com ODROID-W como videogames, dispositivos de realidade virtual, dispositivos médicos etc.. e o melhor é que será possível aproveitar boa parte dos materiais e tutoriais feitos pela comunidade do Raspberry Pi.

Henrique Rossi
Visitante

Olá Carlos,

O legado que a ODROID-W traz consigo é enorme, e isso resulta num tempo de aprendizado muito menor. E isso é ótimo do ponto de vista dos makers. Enfatizei na U3 porque eu preciso de performance nos meus projetos, e ela atropelou a RasPi. 😉

Vamos ver se os projetos para a qual a W foi projetada vão decolar. Se sim, imagino um domínio de RasPi-like boards. kkk

Abraços,
Henrique

Carlos Queiroz
Visitante
Carlos Queiroz

Olá Henrique,

Depois de suas colocações fiquei interessado em adquirir uma ODROID!

Eu estava interessado na Radxa Rock que tem 2GB de RAM e ARM Cortex-A9 quad core, mas fiquei com o pé atrás devido ao fato da comunidade ainda ser pequena. Na loja oficial a Radxa Rock é mais cara que a ODROID-U3, mas encontrei um vendedor no alibaba comercializando com um preço bem mais atrativo.

Creio que agora com essas novas informações eu acabe optando por uma ODROID.

Obrigado pelas informações!

Abraço,