My Two Bits About 8 Bits

chip die

OK, hora de pensar um pouco: com os MCUs de 32 bits se tornando tão baratos quanto eficientes, imaginei que os MCUs de 8 bits estivessem caminhando para legados de designs estendidos. Quero dizer, quem basearia um novo design em uma arquitetura 8051 de 35 anos? Como se constata, muitas pessoas.

Primeiro, um esclarecimento: duvido que alguém tenha produzido um 8051 MCU direto em 20 anos; os designs mais recentes envolvem um núcleo 8051 modificado com muitos periféricos analógicos e digitais de alta velocidade que podem interoperar sem precisar esperar no núcleo do processador. Se o seu produto proposto não requer muito processamento de dados de alta velocidade, então um processador mais lento e simples faz muito sentido.

Um exemplo são os novos MCUs PIC16 (L) F170X e PIC17 (L) F17F de 8 bits da Microchip, que foram lançados recentemente no EE Live. Na verdade, a Microchip tem um grande investimento em sua família PIC16 de 8 bits, que continua expandindo. Se você olhar para qualquer diagrama de blocos deles levará um momento para encontrar o núcleo da CPU em meio a todos os periféricos. Um núcleo simples em larguras de linha herdadas (leia-se: baixa fuga) – mas com todo o respeito, alguma engenharia criativa – permite o que a Microchip chama de “eXtreme Low Power”, com corrente ativa de até 35 μA/MHz e corrente de sleep de 20 nA. A Microchip dificilmente é a única fabricante de MCUs a publicar números de potência impressionantes, mas a arquitetura de 8 bits os torna muito mais fáceis de alcançar.

Apesar de um investimento pesado em núcleos ARM de 32 bits de baixa potência – tanto a família Precision32™ quanto os MCUs EFM32 adquiridos via Energy Micro – a Silicon Labs ainda está construindo sua extensa família C8051 de 8 bits. Seus novos MCUs C8051F85x/6x incluem muitos periféricos analógicos e digitais para direcionar aplicações de controle de motores. Isso não é nada que você não possa fazer com um MCU de 32 bits, mas tente fazer isso por 30 centavos.

O resultado final é que quase todos fazem MCUs de 8 bits: Atmel, Analog Devices, Cypress, Freescale, Maxim Integrated, Infineon, Intersil, STMicroelectronics, NXP, ON Semiconductor – a lista continua. Algumas dessas empresas estão mais comprometidas com 8 bits do que outras, e algumas, como a Texas Instruments, estão trabalhando duro para convencer os projetistas a “atualizar” para 16 bits.

Mas considerações à parte, o custo que ainda é um grande fator e há boas razões para ficar com 8 bits. Se o seu design for intensivo em computação, então 32 bits é o caminho a percorrer. Mas se na maior parte do tempo ficar apenas lá – como um sensor node – e só acordar brevemente para pegar a amostra de dados ocasional, um MCU de 8 bits é uma escolha lógica.

Nós todos amamos novas tecnologias, mas às vezes uma versão atualizada de um padrão antigo ainda é o caminho a percorrer.

Artigo escrito originalmente por John Donovan para Mouser Electronics: My Two Bits About 8 Bits. Traduzido por Equipe Embarcados.

Receba novidades exclusivas da Mouser Electronics

Cadastre-se para receber novidades da Mouser
  • Obs: os dados deste formulário serão repassados à Mouser

(*) este post foi patrocinado pela MOUSER ELECTRONICS

Website | Veja + conteúdo

Mouser Electronics é um dos líderes mundiais em distribuição de semicondutores e componentes eletrônicos e distribuidor autorizado de mais de 500 fornecedores líderes da indústria. Nosso foco é a excelência em serviço ao cliente, oferendo rápida entrega e embarque imediato com a precisão no processo, desde a colocação dos pedidos até a sua entrega. Mouser oferece uma ampla seleção de produtos em estoque para rápido envio a mais de 170 países.

Licença Creative Commons Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

Receba os melhores conteúdos sobre sistemas eletrônicos embarcados, dicas, tutoriais e promoções.

Comentários:
Notificações
Notificar
guest
1 Comentário
recentes
antigos mais votados
Inline Feedbacks
View all comments
Angelo Buoro
Angelo Buoro
21/07/2019 17:45

“Nós todos amamos novas tecnologias, mas às vezes uma versão atualizada de um padrão antigo ainda é o caminho a percorrer.”

Foi nessa que o Gunpei Yokoi, criador do game boy, decidiu usar uma arquitetura antiga para época (Z80) para consolidar o portatil que foi imbativel durante anos. “Lateral Thinking with Withered Technology”, a ideia que o novo nem sempre necessáriamente será o ótimo para a aplicação.

Talvez você goste:

Séries

Menu