Medição de nível: Visores – Parte 1

Neste artigo mostramos a instrumentação industrial utilizada para medição de nível. Nesta primeira parte abordaremos a utilização de visor tubular. 
medição de nível

Olá leitor, desta vez trazemos para você um material cujo objetivo é mostrar um pouco sobre instrumentação industrial, utilizada para medição de nível. Nesta primeira parte abordaremos a utilização de visores para aferição de nível de um determinado elemento em um processo, de modo especial. Este artigo será focado em um instrumento chamado na literatura de visor tubular.

Os visores são mecanismos compostos por uma tecnologia simples e de certa eficácia para uma indicação visual direta do nível de algum elemento em um determinado processo. Deve-se observar que a utilização destes requer cuidado em virtude de algumas limitações existentes, como por exemplo, a medição de líquidos que de alguma maneira podem obscurecer o nível real, atrapalhando portanto a medição. Apesar disso, muito embora existam outros vários métodos para medir um determinado nível, este tipo de indicação proporciona um certo patamar de confiança aos operadores.

De maneira geral, um visor de nível não é formado por um tubo transparente através do qual o líquido de processo pode ser visto. Além de serem utilizados para monitorar o nível do líquido, também servem para visualizar a interface entre dois líquidos imiscíveis existentes em reservatórios. Como citado anteriormente, alguns fatores podem contribuir para atrapalhar a leitura correta do valor da grandeza em questão, como por exemplo:

  • Ebulição do líquido;
  • Formação de espuma;
  • Variação da densidade do líquido;
  • Redução da visibilidade por parte de substâncias que possam revestir o instrumento internamente.

O princípio de funcionamento destes instrumentos é baseado na teoria dos vasos comunicantes onde um tubo transparente é colocado a partir da base do reservatório até o seu ponto mais alto, permitindo portanto a leitura do nível do líquido presente no mesmo.

Vidro Tubular

São visores fabricados utilizando tubos de vidro cujo diâmetro e a espessura das paredes devem ser adequadas para a aplicação proposta, respeitando requisitos como pressão e a temperatura existentes no ambiente onde o visor estará localizado. Vale ressaltar que não é conveniente que estes instrumentos estejam submetidos a valores altos de pressão e temperatura. Logo, recomenda-se que em virtude da sua fragilidade estes sejam utilizados em processos que não apresentam pressões superiores a 2 bar e nem temperaturas acima de 100 ºC, bem como em processos que não apresentam substâncias tóxicas, corrosivas ou inflamáveis.

Para poder efetuar as leituras do nível do líquido em um determinado reservatório, coloca-se geralmente o visor entre duas válvulas de bloqueio juntamente com todo o aparato (juntas de vedação, por exemplo) para acomodá-las da maneira mais eficaz ao visor utilizado.

 Esquema de instalação do visor para medição de nível
Figura 1 – Esquema de instalação do visor de nível

Esta foi a primeira parte do nosso conteúdo voltado para a utilização de visores em medição de nível, na próxima parte falaremos um pouco sobre os outros tipos de visores mais utilizados para o objetivo proposto. Esperamos que você tenha gostado deste conteúdo, sinta-se à vontade para sugestões, críticas ou elogios. Deixe seu comentário abaixo.

Outros artigos da série

<< Medição de pressão – Tubo de Bourdon tipo CMedição de vazão: Medidor de vazão eletromagnético – Parte 1 >>

Sou engenheiro eletricista graduado com ênfase em Controle e Automação pela Universidade Federal do Espírito Santo - UFES e Técnico em Eletrotécnica pelo Instituto Federal do Espírito Santo - IFES. Me interesso por todas as vertentes existentes dentro da Engenharia Elétrica, no entanto, as áreas relacionadas à automação e instrumentação industrial possuem um significado especial para mim, assim como a Engenharia de Manutenção que na minha opinião é um setor fascinante.

Notificações
Notificar
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

WEBINAR

Visão Computacional para a redução de erros em processos manuais

DATA: 23/09 ÀS 17:00 H