Linux e IoT

Linux e Iot

O Linux começou como um sistema operacional amador projetado para PCs usando processadores 80386. Mas desde sua introdução em 1991, ele se tornou um sistema operacional amplamente usado, rodando em PCs, servidores, mainframes e dispositivos de Internet das Coisas (IoT). A maioria dos principais supercomputadores do mundo roda em Linux.

 

A variedade de suporte do Linux é impressionante. Do menor dos dispositivos aos maiores mainframes e supercomputadores, muitos executam uma variação desse popular sistema operacional. Os motivos da popularidade do Linux dependem do uso; em alguns casos, é por conta do código aberto e, em outros, é a escala do suporte a dispositivos e o espectro de processadores e plataformas.

 

Vamos agora explorar alguns dos principais motivos da popularidade do Linux no mercado de IoT.

 

Arquitetura Linux

 

 

O Linux é um sistema operacional de código aberto que escala desde pequenos computadores com recursos limitados chegando até ao maior supercomputador. Sua fonte é portátil, o que significa que é executada em uma variedade de arquiteturas de processador diferentes (Intel®, Arm, IBM PowerPC, etc.).

 

O Linux apresenta uma arquitetura de pilha (Figura 1). O nível superior do Linux abriga o espaço do usuário em que os aplicativos residem (junto com ferramentas, bibliotecas, shells, etc.). O espaço do kernel contém o kernel do Linux e os drivers de dispositivo. O kernel Linux fornece agendamento, gerenciamento de processos e memória e um conjunto principal de recursos. Os drivers de dispositivo compreendem a maior quantidade de código no sistema operacional Linux, dado o escopo dos dispositivos suportados. Ao criar um dispositivo ou gateway de IoT, o Linux facilita tirar proveito dos periféricos (interfaces de rede com ou sem fio, interfaces de display etc.) e usá-los no contexto desejado.

 

Figura 1: Arquitetura de pilha de alto nível do Linux.

 

No desenvolvimento tradicional de firmware, o desenvolvedor cria código para um sistema target e baixa o código no target para teste. O Linux pode hospedar todas as ferramentas de desenvolvimento no hardware de target, facilitando o desenvolvimento e o teste de código usando o Linux.

 

Segurança do Linux

 

A segurança é uma questão fundamental no design da IoT. O Linux fornece uma plataforma segura para aplicativos de IoT de várias maneiras. Primeiro, o Linux é um sistema operacional de código aberto, o que significa que defeitos que podem levar a ataques e invasões são descobertos e corrigidos rapidamente (em comparação com sistemas operacionais de código fechado que têm menos desenvolvedores examinando-os). Segundo, o Linux incorpora muitos recursos de segurança; de uma estrutura de módulo de segurança (que suporta várias implementações de segurança como o AppArmor) a recursos no kernel que promovem a segurança (como a randomização do layout do espaço de endereço).

 

Distribuições Linux para IoT

 

O Linux se tornou tão popular como uma plataforma de software para a Internet das coisas, que você pode encontrar não apenas uma, mas muitas distribuições do Linux para utilizar nos projetos de Internet das Coisas. A Tabela 1 lista as distribuições mais populares do Linux para IoT.

 

Tabela 1: Distribuições populares do Linux para IoT.

 

Distribuição

Descrição

AndroidThings

Sistema Operacional baseado em Android com suporte para APIs do Android e serviços do Google.

Debian Tinker

Debian para sistemas embarcados

OpenWrt

Distribuição baseada em Linux para dispositivos embarcados (usados ​​principalmente em dispositivos roteadores sem fio).

Raspbian

Raspbian é um derivado do sistema operacional Debian Linux que roda no hardware Raspberry Pi (inclui mais de 35K pacotes).

Tizen

A pilha de Linux Embarcado da Samsung que alimenta grande parte dos dispositivos de consumidor e IoT da Samsung.

Ubuntu Core

O Ubuntu Core é uma versão incorporada do Ubuntu que roda em sistemas de recursos mínimos (como a Raspberri Pi).

Yocto

O Yocto não é, por si só, uma distribuição, mas um projeto de código aberto que ajuda a criar distribuições personalizadas do Linux para sistemas embarcados e IoT.

 

Conclusão

 

O Linux está no centro do ecossistema da IoT, desde o menor dos dispositivos da IoT, até os gateways de borda, e também na nuvem. Uma pesquisa recente online patrocinada pelo Grupo de Trabalho Eclipse IoT, AGILE IoT, IEEE e Open Mobile Alliance descobriu que entre os desenvolvedores de IOT, aproximadamente 72% dos entrevistados usavam Linux para seus dispositivos de IoT. Fatores como sistema operacional de código aberto, escalabilidade, recursos de segurança e uma ampla variedade de distribuições tornam o Linux uma opção popular para o desenvolvimento da IoT.

 

Pontos chave:

  • O Linux alimenta o ecossistema de IoT, desde os menores dispositivos até os supercomputadores.
  • O Linux oferece várias distribuições para suportar projetos de IoT.
  • Os recursos de segurança do Linux protegem os dispositivos IoT.

 

 

Artigo escrito originalmente por M. Tim Jones para Mouser Electronics: Acesse o texto original no link. Traduzido por Equipe Embarcados.

Licença Creative Commons Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

Receba os melhores conteúdos sobre sistemas eletrônicos embarcados, dicas, tutoriais e promoções.

Internet Das Coisas » Linux e IoT
Talvez você goste:
Comentários:

Deixe um comentário

avatar
 
  Notificações  
Notificar

Séries

Menu

WEBINAR
 
Linux Embarcado: Desvendando o Pin Control Subsystem - Kernel Linux

Data: 26/02 às 19:30 h | Apoio: Mouser Electronics
 
INSCREVA-SE AGORA »



 
close-link