Escolhendo o indutor para seu conversor DC/DC buck

Os indutores são componentes eletrônicos passivos utilizados para armazenar energia elétrica na forma de energia magnética. Quando há fluxo de corrente pelo indutor e este sobe rapidamente, uma força eletromotriz é gerada em direção oposta ao da corrente, buscando evitar este aumento. Os indutores são elementos fundamentais no desenho de conversores DC/DC e atualmente há uma variedade de materiais e fornecedores, o que traz desafios na escolha deste item tão essencial. Para facilitar a escolha, o presente texto mostrará os parâmetros mais importantes na definição do item na topologia conversor redutor (“buck”).

 

 

O conversor Buck

 

O conversor buck é um circuito redutor de tensão que converte uma tensão DC para outra tensão DC mais baixa.

 

Representação Conversor buck.
Figura 1 - Representação Conversor buck.

 

 

Blindagem

 

Um dos parâmetros mais importantes sobre os indutores é a necessidade ou não de blindagem (shield). Isto está relacionado ao posicionamento e à vizinhança do conversor na PCB. A utilização de indutores blindados traz benefícios como a menor radiação, já que seu fator de acoplamento é menor que as versões não blindadas. Caso haja indutores próximos, o efeito do fluxo de corrente em um dos enrolamentos gera uma interferência no campo do outro, alterando a especificação do circuito. Como exemplo, a tabela fornecida pela Bourns ilustra este efeito. Fatores de acoplamento K mais próximos a 0 % indicam pouca interferência.

 

Tabela 1. Fator de acoplamento entre indutores: não-blindado, semi-blindado, blindado, blindado de alta corrente

Fator de acoplamento entre indutores.

 

A escolha da blindagem traz como contrapartida características inerentes no comportamento da indutância em relação à corrente de saturação, que é definida como a corrente DC que causa a queda do valor de indutância entre 10 a 20% do valor nominal, afetando o comportamento dinâmico do circuito. Observando a Figura 1, a linha de indutores da Bourns  SRU blindada tem como característica uma queda acentuada no valor de indutância quando se atinge a corrente de saturação.

 

Valores de indutância x características de corrente de saturação DC para a linha SRP blindado de alta corrente , SDR não blindado , SRN Semi-blindado, SRU blindados
Figura 2 - Valores de indutância x características de corrente de saturação DC para a linha SRP blindado de alta corrente , SDR não blindado , SRN Semi-blindado, SRU blindados

 

 

Valor de Indutância

 

Uma boa aproximação para a escolha do valor de indutância de saída do conversor:

 

Equação 1
  • Vin = tensão típica de entrada
  • Vout = tensão de saída desejada
  • Fsw= frequência mínima de chaveamento
  • ΔIL  = ripple de corrente estimado no indutor

 

A equação (1) deve ser avaliada considerando a tensão Vin máxima. O valor da indutância determina o ripple de corrente através do capacitor de saída. Como regra prática pode se considerar o valor da corrente de ripple entre 20-40% da corrente de saída.

 

Equação 2
  • ΔIL =  ripple de corrente estimado no indutor
  • Iout(max) = corrente máxima para a aplicação

 

Considera-se para a definição da corrente de pico (Ipk) e consequentemente da corrente mínima de  saturação no indutor:

Equação 3

 

 

Estudo de caso

 

Como exemplo pode-se considerar o conversor DC/DC L7987L da ST Microelectronics, um conversor abaixador (buck) com tensão de entrada de 4,5 a 61 V, 2 A de corrente de saída e frequência de chaveamento ajustável de saída de 250 kHz a 1,5 MHz, esta última uma funcionalidade interessante já que o valor de indutância é inversamente proporcional a esta grandeza, permitindo a utilização de valores de indutância menores.

 

Esquema Elétrico L7987L
Figura 3 - Esquema Elétrico L7987L

 

 

Exemplo

 

Tendo como especificação uma fonte DC/DC com Vout = 5 V , Vinmáx = 61 V , Iout = 2 A, Fsw = 500 kHz.

 

De acordo com a equação (1) e os limites considerados para o ripple da corrente de indutor entre 20-40%, pela equação (2)  (0,4 A - 0,8 A) , o valor de indutância se situa entre 11,4 μH e 22,9 μH. Valores altos de indutância reduzem o ripple, contudo aumentam o tamanho da solução e também afetam o comportamento da fonte com a mudança dinâmica de carga. Pela equação (3) Ipk = 2,4 A.

 

Considerando estes parâmetros podemos posicionar nossas escolhas nas séries de produtos, como alguns exemplos:

 

Tabela 2. Opções de fabricantes e famílias

Série

Fabricante

IHLP3232

Vishay

SRR1240

Bourns

B82477

TDK

 

Tendo como base esta série de produtos pode-se testar diferentes valores de indutância e verificar seu comportamento. Isto permite maior flexibilidade na escolha de fornecedores e componentes.

 

 

Referências

 

  1. The Inductor Handbook: A Comprehensive Guide For Correct Component Selection In All Circuit Applications. Know What To Use When And Where, Autor : Cletus J. Kaiser
  2. L7989L datasheet, consultado em 21/2
  3. Bourns_Inductor_Power_Converter_Applications_WhitePaper, consultado em 21/2

 

Sou graduado em Engenharia Elétrica pela Unicamp e possuo MBA em Economia de Empresas pela USP. Atuo como Engenheiro de Aplicações. Sou um entusiasta do mundo da eletrônica e da engenharia na indústria brasileira.

Deixe um comentário

2 Comentários em "Escolhendo o indutor para seu conversor DC/DC buck"

Notificar
avatar
 
Ordenar por:   recentes | antigos | mais votados
Guilherme Lizardo
Membro
Guilherme Lizardo

Muito bom o artigo Brunão. Parabéns!

wpDiscuz