Editorial: Por que tantas aquisições têm acontecido ultimamente?

Quem atua na área de sistemas eletrônicos embarcados tem percebido que o mercado tem se demonstrado muito dinâmico como um todo. Fabricantes de semicondutores se aglomerando, o mercado de internet das coisas se expandindo, drones tornando-se muito mais robustos e presentes no dia a dia da população, movimento maker inspirando mentes criativas a darem o primeiro passo no mundo da eletrônica, etc. Mas o primeiro item tem-se tornado uma preocupação em evidência pelo mercado profissional de sistemas embarcados.

 

O que leva empresas enormes e competidoras entre si a unirem forças? É o que pretendemos discutir neste artigo. Não é uma resposta absoluta, tenha em mente isso. São opiniões de profissionais que atuam há muito tempo no mercado de trabalho e que querem trazer a discussão para o público em geral.

 

 

O mundo dos microcontroladores

 

Podemos dizer que o mercado de microcontroladores foi o que mais sofreu mudanças, principalmente ao longo do último ano. Duas grandes fusões nos deixaram preocupados com as possíveis consequências.

 

A então Freescale foi comprada pela NXP, numa transação de U$ 11,8 bilhões e a Microchip se uniu com a Atmel por U$ 3,56 bilhões.

 

Aquisições: NXP e Freescale

A fusão da Freescale com a NXP fez surgir uma NXP muito mais poderosa, com uma linha de produtos mais variada. Em comunicado, a empresa disse que a parte de produtos de RF da NXP será vendida, já que os portfólios dos produtos de RF das duas empresas se sobrepunham. Em relação aos outros produtos, nada mudará no linecard das duas empresas.

 

Esse negócio já foi finalizado, mas o que sentimos no Brasil até o momento é a mudança do nome da empresa e os profissionais da antiga Freescale se acostumando com a linha de produtos da NXP. Isso é perceptível em visitas a clientes. Mas isso é uma questão de tempo.

Aquisições: Microchip e Atmel

Veja aqui a carta que a Microchip preparou para seus clientes e aqui a que a Atmel divulgou para os seus.

 

Ainda não conseguimos sentir o que acontecerá efetivamente, pois a conclusão do negócio se dará agora em 2016. Mas podemos imaginar que surgirá uma empresa com um roadmap de produtos sensacional.

 

O carro chefe da Microchip e o que a tornou muito popular no mundo dos sistemas embarcados programáveis foi a sua conhecidíssima linha de microcontroladores com memória Flash, a família de PIC de microcontroladores, que evoluiu de 8 para 16 e até 32 bits. A Atmel é muito popular pelos seu microcontroladores AVR, encontrados em todo lugar e presentes nos primeiros e mais famosos Arduinos, vendidos de fora massiva até os dias de hoje. Mas, além disso, as duas empresas possuem uma vasta linha de circuitos integrados para sistemas analógicos e digitais. Nos equipamentos encontrados no mercado de consumo atualmente, em quase todos eles encontra-se chips dessas empresas, especialmente no Brasil.

 

De acordo com dados da pesquisa Market Share Analysis: Microcontrollers, Worldwide, 2014, o mercado de 8, 16 e 32 bits estão em crescimento. Mas a fotografia real seria a seguinte:

 

O mercado de 8 bits ainda é o maior, com 39,7%, mas o uso de microcontroladores de 32 bits tem atingido taxas maiores, com crescimento de 10% ao ano. O número de aplicações com soluções de 8 bits tem crescido 0,7% ao ano, muito abaixo do restante.

 

O que podemos imaginar com isso? Tendo em vista esse cenário, a união da Microchip com a Atmel, grande players de soluções de 8 bits, busca oferecer melhores microcontroladores de 8 bits a fim de que seu mercado não diminua, nem suas receitas. Isso é difícil de acontecer, pois umas das grandes barreiras para o migração de 8 para 32 bis é a familiaridade dos profissionais da área de sistemas embarcados com as soluções de 8 bits. Além disso, o crescente número de microcontroladores com periféricos antes usados geralmente em soluções de 32 bits, como controlador de LCD, touch, USB, CAN, LIN, etc, tem entusiasmado as empresas a manterem seus produtos ainda no mundo dos 8 bits.

 

 

Microprocessadores e lógica programável

 

Aquisições: Intel e Altera

 

A Intel comprou a Altera num negócio de $16,7 bilhões, o que equivale a $54 para cada ação.

 

Intel compra Altera...mas o que podemos imaginar o que acontecerá com essa compra? Bem, temos um gigante da área de microprocessadores para servidores e comunicações, mas que briga em consumo de energia com ARM, por exemplo. Do outro lado temos um fabricante de FPGA's (Field-Programmable Gate Arrays), solução adotada em produtos que precisam realizar processamento massivo em paralelo e de algoritmos complexos. Será que veremos microprocessadores e FPGAs num único die?

 

 

Semicondutores

 

A empresa líder no segmento de semicondutores Avago Technologies fechou um negócio bilionário para a compra da empresa Broadcom, sua competidora. A compra foi realizado por U$ 37 bilhões.

 

A combinação de Avago e Broadcom vai criar um líder global diversificado, tanto em semicondutores voltados para comunicação com e sem fio. O CEO da Avago, Hock Tan, disse que essa transação marca uma combinação das proezas de engenharia da engenharia da Broadcom com a herança de Avago Technologies de tecnologias provindas da HP, AT&T, e LSI Logic, em uma transação marcante na história da indústria de semicondutores.

 

Aquisições: Avago e Broadcom
avago-broadcom

 

 

As negociações realizadas em 2015. E agora?

 

Segue uma tabela com todas as aquisições no mundo da eletrônica em 2015. Agradecemos ao Alessandro Cunha, da TECHtraininG, pelos dados coletados abaixo e cedidos gentilmente para o Embarcados.

                       

Empresas

Valor da negociação (em bilhões de dólares)

Data

Infineon + IR

$3.00

Jan 13, 2015

Silicon Labs + Bluegiga

$0.60

Fev 03, 2015

Microsemi + Vitesse

$0.20

Abr 28, 2015

Cypress + Spansion

$5.00

Mar 12, 2015

NXP + Freescale

$40.00

Mar 02, 2015

Microchip + Micrel

$0.83

Maio 07, 2015

Avago + Broadcom

$37.00

Mai 28, 2015

FCI + Amphenol

$1.28

Jun 29, 2015

Intel + Altera

$16.70

Jun 01, 2015

Qualcomm + CSR

$2.40

Ago 13, 2015

Western Digital + SanDisk

$19.00

Out 21, 2015

Microsemi + PCM Sierra

$2.40

Out 26, 2015

SONY + Toshiba

$0.17

Out 26, 2015

IDT + ZMDI

$0.31

Out 27, 2015

TE + Little Fuse

$0.35

Nov 09, 2015

Silicon Labs * Telegesis

$0,02

Nov 23, 2015

Diodes + Pericom

$0.41

Nov 25, 2015

LSI + Agere

$1.14

Dez 03, 2015

Atmel + Microchip

$3.80

Jan 15, 2016

 

Percebemos que as aquisições acontecem com o intuito de se realizar uma parceria. Muitas empresas nascem com um objetivo em mente mas com a concorrência forte acaba ganhando menos espaço do que imaginava. Portanto, menos lucro. Juntar forças acaba sendo uma alternativa interessante para os dois lados, visto que uma única empresa pode atingir um mercado ainda maior, oferecendo soluções melhores e mais completas.

 

Estamos vivendo um mundo muito dinâmico, necessitando de soluções para diversos problemas do cotidiano. Do lado das empresas fornecedoras de soluções, especializar-se ou generalizar-se é uma estratégia. Temos visto empresas fabricantes se unirem para criar uma parceria, com produtos muito fortes. Em muitos casos, sem nenhuma intersecção entre seus respectivos mercados.

 

 

Referências

 

Why 8-Bit Microcontrollers Refuse to Go Away

NEWSLETTER

Receba os melhores conteúdos sobre sistemas eletrônicos embarcados, dicas, tutoriais e promoções.

Obrigado! Sua inscrição foi um sucesso.

Ops, algo deu errado. Por favor tente novamente.

Licença Creative Commons Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

5
Deixe um comentário

avatar
 
3 Comment threads
2 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
4 Comment authors
Flavio C BucciantiHenrique RossiRafael WerneckAlessandro Cunha Recent comment authors
  Notificações  
recentes antigos mais votados
Notificar
Flavio C Buccianti
Visitante
Flavio C Buccianti

Esse mercado é uma bagunça financeira e está muito longe da preocupação de evolução tecnológica. A intel pretende comprar a Broadcom agora que ela não pode mais comprar a Qualcom (por imposição do Trump) que por sua vez está tentando finalizar a compra da NXP que comprou a Freescale.......peraí onde vai para isso ? O que temos visto na realidade é que à cada compra a empresa se deteriora pois os funcionários da empresa comprada normalmente são eliminados para ficarem no lugar deles os da empresa compradora, isso aconteceu com a Freescale que perdeu o melhor do seu staff quando… Leia mais »

Rafael Werneck
Visitante
Rafael Werneck

Me parece que o negócio "Maxim + Analog Devices" não foi concretizado. Ou estou enganado?

Henrique Rossi
Visitante

Olá Rafael,

Muito obrigado pela correção. Não houve o acordo.

http://www.reuters.com/article/us-maxim-intg-m-a-texastexas-instrument-idUSKBN0UM2C420160108

Atualizada a tabela. Abraços

Alessandro Cunha
Visitante
afcunha

Opa pessoal do Embarcados!

Atualizem ai a planilha.

Abraços!

Henrique Rossi
Visitante

Obrigado Alessandro pela nova tabela! No entanto o negócio não foi fechado entre Dialog e Atmel, certo? Deixamos só os concretizados no artigo.

Abraços