Corrosão de Placas de Circuito Impresso – Persulfato de Amônia Vs. Percloreto de Ferro

Corrosão de Placas

Caro leitor, há alguns dias aprendi algo muito interessante que me fez relembrar a graduação e o curso técnico. Ajudei um amigo de laboratório a corroer uma PCB. Para minha surpresa as coisas evoluíram. O post é simples, mas serve como um pequeno guia para iniciantes no mundo da eletrônica a entenderem o processo de corrosão de placas de circuito impresso.

Teoria

Essa técnica utiliza sais de Persulfato de Amônia [Fórmula Linear – (NH4)2S2O8] para agredir o metal depositado no PCB, no caso cobre. Sem ter a pretensão de detalhar os aspectos físicos-químicos da reação, a corrosão se dá pela interação da solução de Persulfato de Amônia e água com o PCB. O resultado é a corrosão do metal exposto (não isolado por tinta) e liberação de produtos de uma corrosão e energia (ou seja, vai esquentar recipiente onde a solução e o PCB estão depositados).

Técnica

Para tanto, sugiro os seguintes passos:

  1. Cortar a PCB na dimensão do projeto;
  2. Desenhar ou imprimir o projeto na PCB cortada;
  3. Preparar a solução de Persulfato de Amônia e água (solução descrita logo abaixo) em um recipiente transparente;
  4. Mergulhar o projeto da PCB na solução;
  5. Aguardar a corrosão e esporadicamente mexer a PCB;
  6. Lavar a PCB;
  7. Retirar a tinta utilizada para isolar a PCB do sal;
  8. Lavar a PCB novamente;
  9. Soldar os componentes.

Solução e Modo de Preparo

Para cada meio litro de água utilizar 200 gramas de Persulfato de amônia. Misturar até diluir o sal. O resultado é uma solução transparente com cor azulada. O link a seguir (preparo da solução) demonstra o processo e pode ser bem útil para quem tiver alguma dúvida.

Dicas interessantes – manter a solução aquecida ao redor de 50 graus e se possível utilizar aquelas bombinhas de aquário para manter a solução em movimento. Essas dicas reduzem o tempo na qual a placa fica na solução corroendo.

Onde Comprar

Por se tratar de produto químico é necessário entrar em contato com as distribuidoras químicas, contudo com um pouco esforço é possível adquirir em sites de vendas como MercadoLivre e Ebay. Os preços são convidativos e aqui vale a observação – também possível o uso de Persulfato de Sódio (Na2S2O8) – este eu não testei, mas diversos sites mencionam o uso.

Vantagens

Percebi algumas vantagens quando comparado com o Percloreto de Ferro [Cloreto de ferro(III)], são elas:

  1. É possível visualizar o processo de corrosão da PCB;
  2. O Persulfato de amônia não suja a sua bancada nem camisa e calça (quem já perdeu uma calça comenta abaixo) como Percloreto de Ferro (justificando a figurinha do porquinho);
  3. O russo do link acima não usou luvas e lavou a PCB em água corrente após o processo de corrosão.

Conclusão

O uso de  Persulfato de Amônia é muito interessante para prototipação rápida,  tendo em vista que não suja como o Percloreto de Ferro e não agride o meio em que trabalhamos. Além disso acredito que o resultado é superior, pois é possível observar a corrosão da PCB e considerar que o tempo de corrosão entre os sais são equivalentes. Por se tratar de produto químico e tóxico – TODO CUIDADO É POUCO, em especial com os olhos e afim de evitar possíveis ingestões, bem como o descarte deve seguir critérios adequados. 

Como mencionei o texto é simples, mas acredito que seja útil a todos os desenvolvedores de PCB. Agradeço ao amigo Roddy pelo aprendizado e ao Licursi pela paciência. 

Licença Creative Commons Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

Receba os melhores conteúdos sobre sistemas eletrônicos embarcados, dicas, tutoriais e promoções.

Hardware » Corrosão de Placas de Circuito Impresso - Persulfato de Amônia Vs. Percloreto de Ferro
Comentários:
Notificações
Notificar
guest
4 Comentários
recentes
antigos mais votados
Inline Feedbacks
View all comments
Laercio Barbosa
Laercio Barbosa
24/10/2016 14:42

Russo, mano 🙂

Este produto é toxico é deve ser usado com muito cuidado. Não deve ser dispensado no esgoto comum mesmo em pequenas quantidades sob risco de combustão de outros elementos. Alguns prós e contras de cada método aqui:

http://www.electronica-pt.com/placas-circuito-impresso

Rodrigo Vinicius Mendonca Pere
Rodrigo Vinicius Mendonca Pere
Reply to  Laercio Barbosa
28/10/2016 10:10

Laercio, muito bem lembrado – o bom descarte deve ser considerado. Excelente link, estarei revisando o post atual. Posteriormente farei um post mais completo abordando mais detalhes sobre o assunto.

Eduardo Gomes
Eduardo Gomes
24/10/2016 07:50

Olá Rodrigo! Parabéns pelo artigo! Você saberia esclarecer se é possível reutilizar a solução? Obrigado!

Rodrigo Vinicius Mendonca Pere
Rodrigo Vinicius Mendonca Pere
Reply to  Eduardo Gomes
28/10/2016 10:21

Obrigado Eduardo. Esse post surgiu devido a uma pequena demanda urgente no meu laboratório – fiquei impressionado com o resultado do persulfato de amônia. Acredito que por se tratar de uma solução química ela deve saturar e perder suas propriedades. Vou questionar meu colegas de laboratório. Ratifico o cuidado com o manuseio e o descarte por se tratar de produto químico e tóxico.

Talvez você goste:

Séries

Menu