Construindo Cidades mais Inteligentes: Sensores – a chave para as fazendas verticais

A prática de agricultura vertical tem aumentado nos últimos anos graças aos avanços da tecnologia que permitem aos agricultores monitorar e controlar as variáveis ​​ambientais.

A tendência para a agricultura vertical é uma resposta a vários desafios encontrados na agricultura tradicional, incluindo a extensa área cultivada e água necessária, produtos químicos usados ​​no controle de pragas, custos de transporte de alimentos para centros populacionais e perda de safra devido ao clima extremo, entre outras coisas. As fazendas verticais têm o potencial de gerar mais produtos do que a agricultura tradicional em espaços menores, usando bandejas de safras empilhadas umas sobre as outras.

A agricultura vertical também reduz as emissões de CO2 ao eliminar a necessidade de veículos para transportar alimentos por longas distâncias, já que os alimentos cultivados por fazendas verticais seriam fornecidos aos supermercados locais e cidades vizinhas. Além disso, as tecnologias usadas na agricultura vertical permitem condições rigidamente controladas que minimizam o tempo de crescimento, maximizam os rendimentos da colheita e maximizam a eficiência geral do processo.

A agricultura vertical não é normalmente feita com sistemas baseados no solo. Em vez disso, esses métodos alternativos são usados:

  • Hidroponia: usa uma solução de água misturada com nutrientes que atua como solo para as plantas crescerem.
  • Aeroponia: usa um meio, como um pano, para fazer as plantas crescerem, borrifando as raízes expostas com uma mistura de água e nutrientes
  • Aquaponia: Usa uma estrutura de circuito fechado composta de cultivo de peixes e plantas que apoiam e beneficiam uns aos outros

Fazendas verticais dependem de dados de sensores para estabelecer e manter as condições ideais de cultivo. Sensores de umidade, sensores de pH e sensores de temperatura fornecem centenas, senão milhares, de dados que ajudam os agricultores a melhorar a qualidade das safras, cultivar grandes quantidades de safras e usar os recursos de maneira eficiente.

A Analog Devices combina sensores de umidade, pH e temperatura em uma ferramenta de desenvolvimento: O EVAL-CN0398-ARDZ Evaluation Board:

  • O sensor de umidade do solo de 3 fios determina a umidade do solo medindo sua constante dielétrica, que permite precisão na irrigação e elimina resíduos
  • O sensor de pH mede o pH do solo para determinar quais nutrientes precisam ser adicionados ou ajustados para equilibrar o pH para crescimento ideal da planta
  • O sensor de temperatura mede a temperatura do solo ou da solução para maximizar a germinação e o crescimento

A Evaluation Board é um dispositivo de baixa potência com um form factor de shield Arduino para prototipagem rápida, para permitir que os engenheiros testem as condições de crescimento das plantas dentro um pequeno tamanho de amostra. O chip select é configurável para ser roteado para três pinos de entrada e saída de propósito geral da placa, permitindo que várias placas usando o protocolo de comunicação SPI sejam utilizadas. A combinação all-in-one para sensores, torna-o uma solução de sensor fácil e eficiente.

Para obter mais informações sobre as tecnologias por trás da agricultura vertical, visite a série Empowering Innovation Together da Mouser.

Para artigos como esse, acesse o link.

Artigo escrito originalmente por Jose Chavez para Mouser Electronics: Shaping Smarter Cities: Sensors: Key to Helping Vertical Farms Thrive

Traduzido por Equipe Embarcados.

Licença Creative Commons Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

Receba os melhores conteúdos sobre sistemas eletrônicos embarcados, dicas, tutoriais e promoções.

Internet Das Coisas » Construindo Cidades mais Inteligentes: Sensores – a chave para as fazendas verticais
Comentários:
Notificações
Notificar
guest
1 Comentário
recentes
antigos mais votados
Inline Feedbacks
View all comments
Markos
Markos
26/10/2020 10:06

Muito importante (e urgente) divulgar as tecnologias de cultivo em ambiente controlado. Mas gostaria de contribuir destacando que a base dessas tecnologias são os “sensores”. De que vale toda uma infraestrutura de aquisição, armazenamento e análise de dados, se não dispomos de uma “diversidade” satisfatória de dados que permita um diagnóstico mais realista dos “cenários nutricionais”. O artigo cita o monitoramento de umidade, pH e temperatura, que são parâmetros físicos e físico-químicos importantes. Mas gostaria de lembrar a importância do monitoramento de alguns parâmetros “químicos” da qualidade da água fundamentais tais como, nitrato, oxigênio dissolvido, amônia (na aquaponia), potássio, cálcio,… Leia mais »

Talvez você goste:

Séries

Menu