Conheça o projeto Robô da Alegria e contribua!

 

 

Com o objetivo de desenvolver tecnologia e atrair a comunidade para o movimento maker, surgiu em 2016, na região da Baixada Santista, o projeto Robô da Alegria. Inspirado em projetos voluntários realizados por ONGs como os Doutores da Alegria, o projeto busca desenvolver um robô, utilizando ferramentas de hardware e software abertos, capaz de atuar em hospitais infantis, levando um pouco de diversão para o ambiente hospitalar e contribuindo com o trabalho de outras organizações.

 

Robô da Alegria
Figura 1 - Robô da Alegria

 

A semente do projeto foi plantada no final de 2015. Após uma palestra sobre criação e desenvolvimento de tecnologia promovida pela Associação de Startups Empreendedoras da Baixada Santista (ASEBS), surgiu a ideia de lançar um desafio aberto para a comunidade, uma espécie de olimpíada hacker.

 


Foi idealizado um projeto, sem prêmio em dinheiro, mas que apresentasse um tema no qual os envolvidos se identificassem de maneira altruísta, que tivesse a possibilidade de ajudar outras pessoas.

 

O Robô passou por diversas transformações, desde sua concepção inicial até o estado atual. De apenas uma cabeça, com olhos e sobrancelhas mecânicas, até sua atual forma humanoide, foram realizadas várias iterações, testando-se diferentes materiais construtivos e dispositivos eletrônicos. De um protótipo em acrílico e MDF cortados a laser, passou-se para um corpo impresso em 3D composto por mais de 36 partes, com um tempo de impressão superior a 70 horas!

 

De uma interface simples com dois servomotores controlados por Bluetooth, passou-se para um corpo composto por 6 servomotores e 2 motores DC comandos por uma interface web.

 

Evolução do projeto "Robô da Alegria"
Figura 2 - Evolução do projeto: a. modelo da cabeça em caixa de papelão, b. estrutura em acrílico, c. protótipo em mdf cortado a laser e d. modelo impresso em 3D.



A estrutura do robô tem sido inteiramente produzida com impressão 3D, utilizando Fusion 360. Visando possibilitar a produção de réplicas do robô em makerspaces ou fab labs, onde o tempo máximo de utilização das impressoras é crucial, projetou-se a estrutura em peças menores de até três horas de impressão cada. O conjunto de peças é colado ou parafusado para montagem do corpo.

 

Impressão e montagem da cabeça do Robô da Alegria
Figura 3 - Impressão e montagem da cabeça do robô.

 

A face, composta por matrizes de LEDs, dão ao robô a capacidade de expressar emoções. Braços e pescoço acionados por servomotores dão ao pequeno autômato a mobilidade necessária para interação com os usuários. No centro de controle do robô, um Arduino Uno faz interface com todos os periféricos, incluindo a comunicação com um módulo ESP8266, que dá ao usuário a possibilidade de comandar expressões e movimentos através de qualquer dispositivo conectado a uma mesma rede Wi-Fi.

 

Esquemático dos circuitos do Robô da Alegria.
Figura 4 - Esquemático dos circuitos do Robô da Alegria.


O Robô conta ainda com um smartphone instalado em seu peito, o qual é utilizado para transmissão de áudio e vídeo entre o operador do robô e as crianças. A tela do dispositivo pode ainda ser utilizada para interação com jogos e outros aplicativos projetados para interação com o corpo do robô.

 

2017 foi um ano agitado para a equipe. Além das reuniões mensais abertas ao público, o robô participou ainda de mais quatro eventos de divulgação tecnológica: Arduino Day Santos, TDC 2017, RoadSec SP e Code </Pizza> in ‘013’). Para 2018 a equipe espera finalizar o primeiro protótipo totalmente funcional, e realizar as primeiras intervenções com o robô junto às crianças. Inteligência artificial, desenvolvimento de jogos e aplicativos para Android e de novas formas de interação com o robô são outros tópicos em pauta para o próximo ano. A utilização de um Raspberry Pi nos sistemas embarcados do robô também estará em pauta nas reuniões do grupo.



Atrair o público para participar do projetos de desenvolvimento tecnológico, sem fins lucrativos, está longe de ser uma tarefa fácil. Porém, motivar e transpor apenas o entusiasmo inicial constitui uma tarefa ainda mais difícil.


Visando envolver a comunidade e divulgar os resultados atingidos, todos os avanços do projeto são publicados em diferentes plataformas. Já foram publicados artigos no próprio Embarcados sobre o controle de matrizes de LED utilizando um Arduino e controle de servomotores por Wi-Fi, ambas tecnologias empregadas no desenvolvimento do robô.

 

Os códigos desenvolvidos para o robô são periodicamente atualizados no Github do Robô da Alegria. O projeto conta ainda com uma página no Facebook, onde é atualizado periodicamente o progresso do projeto. Não deixe de curtir e compartilhar!

Mais informações sobre o projeto: HackadayHackster e Instructables.

 

Você pode encontrar as instruções completas para desenvolvimento do robô no link abaixo. Por enquanto apenas a versão em inglês está disponível. O projeto está concorrendo em várias competições internacionais, não deixe de votar aqui!

 

O modelo para impressão 3D completo já está disponível neste link.

 

 

 

Saiba mais sobre robôs

 

Berry·E Mini Robô com Câmera e Raspberry Pi Zero W

Micromouse: Um robô solucionador de labirinto

TickAttack e Franzininho - controlando um robô sob rodas

NEWSLETTER

Receba os melhores conteúdos sobre sistemas eletrônicos embarcados, dicas, tutoriais e promoções.

Obrigado! Sua inscrição foi um sucesso.

Ops, algo deu errado. Por favor tente novamente.

Licença Creative Commons Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

Igor Albuquerque
Engenheiro eletrônica pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), engenheiro mecatrônico pela Universidade de Pernambuco (UPE), mestre em controle e automação pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), especialista em instrumentação industrial pelo Instituto Brasileiro de Petróleo (IBP) e inventor nas horas vagas.

Deixe um comentário

avatar
 
  Notificações  
Notificar