IoT: Conectando uma camiseta ao Facebook

Conectando uma camiseta ao Facebook

Ao pensar nas possibilidades de aplicação da Internet das Coisas (IoT) podemos passar horas e mais horas desenhando soluções para os mais diversos problemas ao nosso redor utilizando esta poderosa ferramenta. À medida que o mundo dos negócios começa a ganhar cada vez mais complexidade, as automatizações, otimizações e melhorias de performance dos processos tornam-se medidas obrigatórias para todos os setores econômicos, colocando IoT em posição de protagonista neste processo.

 

Em um futuro próximo teremos literalmente qualquer coisa conectada à internet, desde as nossas próprias roupas a cidades inteiras onde todos os carros, semáforos, placas, ruas, etc, estão conectados na rede e se conversam para evitar congestionamentos ou acidentes, por exemplo.

 

E para provar que podemos conectar praticamente qualquer coisa na rede mundial de computadores, desenvolvi uma camiseta integrada ao Facebook. Utilizando algumas plataformas de hardware que temos à disposição, uma camiseta com uma estampa de um like do Facebook, alguns LEDs, linha condutiva e muita paciência para costurar tudo isso, é possível criar uma camiseta que se ilumina quando alguém clica em ‘Curtir’ em sua página da rede social. Legal né?

 

Camiseta com LEDs que acendem quando uma determinada página do Facebook recebe um novo like.
Figura 1 – Camiseta com LEDs que acendem quando uma determinada página do Facebook recebe um novo like.

 

Além dos itens necessários descritos anteriormente, também se faz necessário o desenvolvimento de um backend para a nossa aplicação, ou seja, um software rodando em um servidor que será responsável por integrar-se com o Facebook por meio de APIs e disparar eventos para a camiseta, por meio de um protocolo como o MQTT, a medida que a sua página na rede social receba novas interações.

 

Vamos colocar a mão na massa, ou melhor, no like, para desenvolver esse projeto!

 

Hardware

 

Para o desenvolvimento do projeto, utilizei a placa Wemos D1 mini como responsável pela comunicação entre os LEDs da camiseta e o servidor, já que esta possui um ESP8266 embarcado e compõe um circuito compacto, sem deixar de entregar bons recursos ao desenvolvedor.

 

Além da placa, utilizei também três LEDs lilypad brancos, além de linha condutiva para montar todo o circuito.

 

A construção do circuito é bem simples, basta costurar a linha em uma das saídas digitais da placa, que será acionada de forma programada, passar por todos os leds respeitando os polos positivos e negativos, e finalizar na porta “ground” do Wemos.

 

Como fonte de energia, podemos utilizar um powerbank conectado por meio de um cabo USB, ou utilizar o shield do Wemos D1 Mini para uso de uma bateria de lítio, para este projeto, utilizei a primeira opção.

Figura 2 – Esquemático da ligação elétrica.
Wemos D1 Mini no interior da camiseta, responsável por acionar os LEDs e comunicar-se com o servidor.
Figura 3 – Wemos D1 Mini no interior da camiseta, responsável por acionar os LEDs e comunicar-se com o servidor.

 

Software

 

Em questão de software desenvolvi um servidor, utilizando NodeJS, que é responsável por chamar a API do Facebook (Graph API), onde disponibiliza um endpoint, a qual quando informado o id de uma página, recebemos algumas informações no retorno e dentre elas a quantidade de curtidas.

 

Vale lembrar que após atualizações desta API o Facebook passou a permitir apenas consultas via API em páginas que o proprietário é o próprio consumidor da API, ou seja, não conseguimos mais consultar a quantidade de likes de uma página que não criamos.

 

Já para a placa Wemos D1 mini, a programação é feita em linguagem C++, onde criamos uma conexão com um serviço MQTT, permitindo receber dados quando alguém der um like na página do Facebook e acionar o circuito de led da camiseta.

 

Cloud

 

O servidor NodeJS chama a API do Facebook frequentemente para checar se houve alguma atualização na quantidade de curtidas, caso haja disparamos uma mensagem MQTT ao serviço Cloud MQTT.

 

Este serviço possui um plano gratuito com algumas restrições, mas é uma excelente opção para o desenvolvimento de protótipos.

 

Do outro lado, a placa Wemos foi programada como “subscriber” deste serviço que criamos no Cloud MQTT, dessa forma, assim que o servidor enviar um disparo como “publisher” informando que houve uma alteração na quantidade de curtidas, a placa recebe essa informação e aciona o circuito de LEDs e o desliga após 2 segundos, criando o efeito demonstrado abaixo.

 

 

Juntando todas as pecinhas, temos como resultado o seguinte desenho:

 

Figura 4 – Diagrama contemplando todos os componentes utilizados no desenvolvimento deste projeto e suas interações.

 

O projeto Iot-tshirt completo está disponível no github.

“Não é feitiçaria, é tecnologia!”

 

Saiba mais

 

Aplicação da WEMOS D1 R1 como Webserver

Primeiros Passos com WEMOS D1 R1 com ESP8266EX embutido

ARM Webserver com ethernet shield W5100 e STM32 no mbed

NEWSLETTER

Receba os melhores conteúdos sobre sistemas eletrônicos embarcados, dicas, tutoriais e promoções.

Obrigado! Sua inscrição foi um sucesso.

Ops, algo deu errado. Por favor tente novamente.

Licença Creative Commons Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

Guilherme Uezima
Graduado em Sistemas de Informação, há diversos anos atua com o desenvolvimento de sistemas para múltiplas plataformas. Empreendedor, entusiasta do mundo tecnológico e fascinado em desenvolver soluções para melhorar a vida de todos.

Deixe um comentário

avatar
 
  Notificações  
Notificar