Como publicar um projeto Open Hardware

Você mesmo consegue desenvolver e abrir seu projeto de hardware e contribuir para a comunidade - foi esse o tema principal que Fábio Souza abordou em sua palestra sobre open source hardware realizada durante a Campus Party Minas Gerais 3, em Belo Horizonte, no dia 8 de Novembro de 2018.

 

Fábio apresentou a definição de Open Hardware e boas práticas para a publicação de projetos open hardware e mostrou que, apesar do termo “Open hardware” ou “Open source hardware” não ser novo, ainda há muita confusão em relação à publicação de projetos open hardware na comunidade brasileira de hardware. Ele começou apresentando a revolução maker, que é um movimento espontâneo de pessoas ao redor do mundo que visa criar, compartilhar, ajudar e trabalhar juntos em projetos de diferentes formas. Os Makerspaces, Hackerspaces, laboratórios de casas e universidades e FabLabs são exemplos de locais onde é possível colocar sua arte em prática e realmente fazer.

 

Fábio comentou que no Brasil ainda são poucas as iniciativas de projetos open hardware e a comunidade brasileira ainda possui muitas dúvidas quanto à publicação, contribuição e uso de projetos abertos e deu exemplos de sites onde pode-se encontrar material de qualidade sobre o assunto. Apesar disso, comentou sobre os projetos Franzino, Franzininho e PQDB, exemplos de projetos bem documentados.

 

Foi apresentado sobre o projeto Arduino, que popularizou a prática de hardware aberto por conta de sua comunidade engajada na construção de software, hardware e documentação, além de ativamente responder perguntas sobre o projeto em fóruns ao redor do mundo.

 

Fábio mostrou a diferença entre disponibilizar os arquivos online para consulta e download e sobre a necessidade de se licenciar corretamente os arquivos compartilhados. Mostrou sobre os arquivos geralmente disponibilizados sob licença open, como listas de materiais, arquivos de design, software e firmware, arquivos de fabricação, modelagem 3D, arquivos de projeto de hardware, incluindo esquemáticos e arquivos para consulta e documentação. Foi citada também a facilidade propiciada pelas artes para ilustrar mais facilmente a pinagem das placas, com a utilização de softwares gráficos de fácil manipulação. Além disso, foram mostradas as ferramentas online mais utilizadas para compartilhar informações sobre projeto: Github, Bitbucket e Gitlab.

 

Por fim, ele mostrou como utilizar a licença Open Source Hardware e seu logo, e chamou o pessoal a criar seus hardwares livres e viver com o Espírito do Open Hardware:

  • Promover o desenvolvimento colaborativo;
  • Divulgar o compartilhamento de conhecimento;
  • Fomentar o desenvolvimento tecnológico;
  • Não apenas colocar uma palavra chave para promover um hardware.

 

Veja o vídeo completo da apresentação de Fábio Souza durante a CPMG3 intitulada Como publicar um projeto Open Hardware.

 

 

Veja os slides da apresentação a seguir:

 

 

Referências para Open Hardware

 

Open source hardware: Conheça a definição e as boas práticas, Por Fábio Souza

Open Hardware - Projetos que estão mudando o mundo, por Fabio Souza

Como publicar um projeto Open source Hardware, Por Thiago Lima

Hardware Livre está abocanhando o mundo, Por Adam Benzion

What Is Open Source Hardware?

OSHW Checklist

OSHW May and Must

Best Practices for Open-Source Hardware 1.0 (English)

Definition of Open Source Hardware by OSHWA (English)

Building Open Source Hardware: DIY Manufacturing for Hackers and Makers

NEWSLETTER

Receba os melhores conteúdos sobre sistemas eletrônicos embarcados, dicas, tutoriais e promoções.

Obrigado! Sua inscrição foi um sucesso.

Ops, algo deu errado. Por favor tente novamente.

Thiago Lima
Apaixonado por sistemas digitais e circuitos eletrônicos, ja contabilizo 16 anos trabalhando com desenvolvimento de produtos eletrônicos. Formado na USP Sao Carlos, com mestrado em Engenharia Elétrica no Rochester Institute of Technology pelo CsF, atualmente lidero boa parte das operações do Embarcados, buscando levar conhecimento de sistemas eletrônicos para o Brasil. Experimentar o mundo das startups nos EUA foi transformador. La fui cofundador de uma startup de tecnologia chamada Una, sendo acelerado e incubado por um programa especial de Startups no RIT. Ao final, recebemos um prêmio de melhor startup do programa. No Laboratório Hacker de Campinas sou um dos entusiastas de novas tecnologias e apoio iniciativas da comunidade. Tambem participo de atividades comunitarias e sou um dos responsáveis pela Plataforma Ituiutaba Lixo Zero, onde escrevo regularmente artigos sobre redução de resíduos. Sou sonhador mesmo e quero acender a luz ?

Deixe um comentário

avatar
 
  Notificações  
Notificar