Como corroer sua própria placa didática PQDB

PCB (Printed Circuit Boards) ou PCI (Placa de Circuito Impresso) são placas de circuito impresso constituídas por uma superfície isolante de fenolite e uma camada de cobre que permite a circulação de corrente. São extremamente úteis, pois além de diminuírem o espaço utilizado pelo circuito, também eliminam a utilização da protoboard e seus milhares de jumpers, permitindo, assim, menos problemas com mal contato, cross-talk, entre outros.

 

Em artigos anteriores falamos sobre a PQDB, além de um Build Report que mostra todos os componentes usados na placa. Neste artigo ensinaremos como fabricá-la, vale lembrar que este processo pode ser utilizado para fabricar qualquer PCB. O layout da placa para impressão se encontra em nosso GitHub (Cuidado! Fique atento com as dimensões, pois algumas impressões diminuem o tamanho real do circuito). É necessário realizar a impressão do circuito em impressora a laser, pois utilizaremos a tinta toner como máscara do circuito.


Para a fabricação são necessários alguns produtos:

  • Placa de fenolite;
  • Percloreto de ferro;
  • Bombril ou esponja de cozinha;
  • Detergente;
  • Ferro a seco;
  • Papel couchê;
  • Impressora a laser.

 

Pegue a placa de fonolite e raspe-a com o bombril (ou esponja) e detergente, retirando qualquer camada de gordura da placa, pois facilita a fixação da tinta nela.

 

Corroer a placa didática PQDB

 

Após raspa-la, imprima o circuito no papel couchê e recorte-o do tamanho da placa para facilitar o próximo passo.

Corroer a placa didática PQDB

 

Coloque o papel de maneira que o circuito fique de cabeça para baixo (faceando a placa).

 

 

Pegue o ferro de passar roupa e o pressione durante 5 minutos em cima do papel. O ferro tem que ser a seco, escolha uma temperatura que não queime o papel. Após o tempo, comece  a passar.

 

 

 

Quando o circuito estiver bem aparente, pare de passar o ferro e coloque a placa em um balde de água, o nível da água precisa cobrir a placa (ATENÇÃO! A placa vai estar muito quente, então utilize alguma luva ou pano para pega-la).

 

 

À medida que o tempo passar, o papel começará se desfazer e ficará apenas o toner no formato do circuito.

 

Agora que somente o circuito se encontra na placa, é necessário preparar o ácido.

 

Para a obtenção do ácido, misture lentamente o percloreto na água fria com uma proporção de 1:2,5 (por exemplo: 400 g de percloreto para 1 litro de água). Não se esqueça de utilizar luvas para proteção  e de nunca jogar a água no recipiente com percloreto, e sim o contrário.

Com a mistura pronta, aqueça a água, pegue a placa e coloque-a no ácido. Com o tempo, o cobre que não está coberto com o toner irá se dissolver.

 

 

Quando todo o cobre em volta do circuito de dissolver, retire a placa.

 

Limpe a placa retirando o toner do circuito e o resultado será:

 


 

Para evitar futuras corrosões do cobre, passe estanho em todo o circuito.

 

Como o processo é caseiro, é comum surgir pequenos defeitos nas placas, como trilhas corroídas e trilhas cortadas. É recomendável, toda vez que se fabricar uma, testar todas as suas trilhas. E às vezes é necessário fazer conexões com jumpers:

 

 

 

 

Agora é só furar e soldar os componentes da PQDB na placa e começar a aprender!

 

 

Aprenda mais

 

Conheça o projeto: catarse.me/pqdb

Acesse o GitHub do projeto: https://github.com/projetopqdb/

Conheça a PQDB - A placa didática open hardware

PQDB - Como projetamos a placa didática open source (Build Report)

Livro - Programação de sistemas embarcados

NEWSLETTER

Receba os melhores conteúdos sobre sistemas eletrônicos embarcados, dicas, tutoriais e promoções.

Obrigado! Sua inscrição foi um sucesso.

Ops, algo deu errado. Por favor tente novamente.

Augusto Cesar Rossi de Mattos
Graduando em Engenharia da Computação pela Universidade Federal de Itajubá, já foi membro por três anos da Equipe Uai!rrior de Robótica e grande apoiador do D.I.Y.

1
Deixe um comentário

avatar
 
1 Comment threads
0 Thread replies
1 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
1 Comment authors
ANDRE MOREIRA Recent comment authors
  Notificações  
recentes antigos mais votados
Notificar
ANDRE MOREIRA
Membro
ANDRE MOREIRA

Olá amigo. bom post.
Mas se ao invés de utilizar o percloreto de ferro, que demora muito na minha opinião, pode-se usar 30% de HCl 1:1 30% de H202 e 40% de H2O. (esses 40% de agua poderá ir adicionando, para ajustar o tempo de corrosão e a qualidade)
eu normalmente faço as corrosões por volta de 1-2 minutos. fica muito bom . rápido e limpo.
o ácido HCl é 1:1. Fraco porém ele potencializa a agua oxigenada (peróxido de Hidrogênio) e é ele que faz a corrosão.
abs