ATmega328P Xplained Mini – Hardware

ATmega328P Xplained Mini

A placa de avaliação ATmega328P Xplained mini permite explorar os recursos do ATmega328P, o mesmo utilizado na Arduino Uno. A placa vem com um debugger integrado que é facilmente usado em conjunto com o Atmel Studio, permitindo a programação do microcontrolador e também depuração do programa durante o desenvolvimento ou testes. Além da facilidade de acesso aos pinos do microcontrolador, a placa possui footprint Arduino, permitindo o uso de shields no padrão Arduino R3. A seguir serão apresentados os detalhes de seu hardware.

Hardware da ATmega328P Xplained Mini

O hardware da placa é bem simplificado,  possuindo o microcontrolador ATmega328P, 1 tecla e 1 LED para uso geral, circuito de depuração e conector USB mini. A figura 1 a seguir exibe a placa e seus detalhes:

ATmega328P Xplained Mini
Figura 1 – Detalhes da ATmega328P Xplained Mini

O esquema elétrico da placa pode se baixado no site da Atmel. É disponibilizado no documento todas as informações do circuito, PCB e também o BOM da placa.

O microcontrolador alvo da placa, como dito anteriormente, é o ATmega328P, o mesmo utilizado na placa Arduino Uno. Este é um microcontrolador de 8 bits da família Atmel AVR, possui 32 KB de Flash, 2 KB de RAM e 1 KB de EEPROM. OS seus pinos são facilmente acessados na placa Xplained mini, possibilitando diversas aplicações utilizando este microcontrolador. A figura 2 exibe a ligação elétrica do ATmega328P na placa:

ATmega328P Xplained Mini - Ligação elétrica
Figura 2 – Esquema de ligação do ATmega328P

Conforme exibido na Figura 1, além dos pinos de acesso ao microcontrolador, inclusive no padrão Arduino R3, a placa traz também 1 tecla e um LED para uso geral. Você pode utilizar esses componentes em suas primeiras aplicações com a placa. A tecla está ligada no pino PB7 e o LED no pino PB5, conforme exibido na figura 3:

ATmega328P Xplained Mini - Entradas
Figura 3 – Tecla e LED para uso geral

O grande diferencial dessa placa é o circuito de debugger, chamado mEBDG. O circuito é baseado no microcontrolador ATmega32U4, o mesmo da Arduino Leonardo. Com este circuito é possível programar e depurar sem a necessidade de uma ferramenta externa, como por exemplo o Atmel-ICE ou AVR ONE.

Esse circuito ajudará durante o desenvolvimento de aplicações com a ATmega328P Xplained Mini permitindo executar o código passo a passo e a inserção de breakpoints para depuração. A figura 4 exibe o diagrama elétrico desse circuito.

Circuito de debugger da ATmega328P Xplained Mini
Figura 4 – Circuito de debugger

O circuito também possui um regulador de tensão de 3V3. É baseado no LP2985-33, um LDO de 3V3, 150 mA com baixa corrente quiescente. O circuito é apresentado na figura 5 abaixo:

Regulador de tensão da ATmega328P Xplained Mini
Figura 5 – Regulador de tensão

Dimensões da ATmega328P Xplained Mini

A placa possui poucos componentes e dimensões reduzidas. Seu tamanho é bem próximo ao de um Arduino Uno R3. A figura 6 exibe as dimensões da ATmega328P Xplained Mini:

Dimensões da placa ATmega328P Xplained Mini
Figura 6 – Dimensões da placa

Conclusão

A ATmega328P Xplained Mini é uma excelente plataforma para uso do microcontrolador ATmega328P, sendo uma alternativa à plataforma Arduino UNO. Apresenta recursos de depuração, ponto que o Arduino deixa a desejar, os pinos do microcontrolador são facilmente acessados e também é possível usar shields padrão Arduino R3. O circuito de debugger integrado facilita o desenvolvimento de aplicações mais profissionais utilizando o Atmel Studio e usando o recurso de depuração. Seu tamanho reduzido facilita a criação de protótipos e validação de ideias utilizando o microcontrolador e ferramentas de desenvolvimento da Atmel.

Aprenda Mais

– Primeiros passos com Atmel Studio

– Arduino Uno

– Arduino Leonardo

Licença Creative Commons Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

Receba os melhores conteúdos sobre sistemas eletrônicos embarcados, dicas, tutoriais e promoções.

[wpseo_breadcrumb]
Comentários:
Notificações
Notificar
guest
6 Comentários
recentes
antigos mais votados
Inline Feedbacks
View all comments
Jota
Jota
22/08/2015 22:18

Ola.
Saberia dizer se funciona tão bem se for usado o visual Studio ao invés do ambiente da Atmel ?
Quanto a parte de debug, teria esta placa alguma vantagem em relação ao Arduino zero que tambem possibilita o debug ?
Gostaria de adquirir uma das duas e queria saber qual a melhor em questão de debug e facilidade de encontrar ela pelo Brasil para agilizar o tempo de chegada aqui, sem que tenha que encomendar de fora e esperar meses ate chegar aqui..

Obrigado,
Jota

Fabio_Souza_Embarcados
Fabio_Souza_Embarcados
Reply to  Jota
24/08/2015 21:56

Olá Jota, O ambiente da Atmel é baseado no Visual Studio com recursos para os microcontroladores e ferramentas de desenvolvimento da Atmel. A interface de debug(EDBG) são parecidas em ambas, mas na Xplained é uma versão reduzida com menos recursos(mEDBG), porém ambas necessitam de uma IDE com suporte a esse recurso. É interessante notar que são plataformas diferentes, a Xplained mini apresentada nesse artigo é baseada no ATmega328P, o mesmo do Arduino UNO. Já a Arduino Zero é baseada no SAMD21, um ARM Cortex M0+ com mais recursos e arquitetura diferente. Sobre a facilidade de encontrar, acredito que as placas… Leia mais »

Rafael Dias
Rafael Dias
11/08/2015 14:11

ah, perguntas…

1) Até quantos breakpoints podem ser utlizados ao mesmo tempo nesta plataforma?
2) Vi que tem um ICSP ligado ao debugger (na verdade, o ICSP é a interface de depuração do mEDBG). Será que é possível gravar outros AVRs que não sejam do modelo empregado na Xplained Mini?

Fabio_Souza_Embarcados
Fabio_Souza_Embarcados
Reply to  Rafael Dias
12/08/2015 09:55

Acredito que a quantidade de breakpoints vai depender do microcontrolador alvo. No caso está utilizando o debugWire. Ainda não testei os limites, vou verificar isso e coloco aqui.

Acredito que dê para gravar outros microcontroladores, porém tem que fazer a ligação correta dos pinos de gravação no microcontrolador externo. Um ponto que notei nessa placa é que o clock do atmega328P é fornecido pelo ATmega32U4, talvez isso influencie para gravar um micro externo. Mais um teste que vou fazer e atualizarei aqui. abraços

Rafael Dias
Rafael Dias
11/08/2015 14:06

ótimo.

Um dos grandes problemas que eu vejo o pessoal passando com o arduino é em como depurar o código.

Dá para realizar depuração via porta serial ou algum outro método invasivo, mas já vi problemas de timing na inserção de código de debug que levava a um mal funcionamento quando o produto estava executando código release.

Agora, com o conceito apresentado na Xplained Mini, esses problemas podem ser resolvidos.

Fabio_Souza_Embarcados
Fabio_Souza_Embarcados
Reply to  Rafael Dias
12/08/2015 09:50

Realmente Rafael, trabalhar com arduino e sem recursos de depuração não é fácil. fazendo a depuração pela serial ou por outros métodos de verificação no hardware não é tão eficiente e pode atrapalhar no desempenho e até deixar sujeira pra o produto final.

O uso de uma ferramenta de depuração ajuda bastante no processo de desenvolvimento. Com o debugger integrado pode agilizar esse processo.

Talvez você goste:

Séries

Menu
Privacy Settings saved!
Configurações de Privacidade

Entenda quais dados e informações usamos para ter melhor entrega de conteúdo personalizado para você.

These cookies are necessary for the website to function and cannot be switched off in our systems.

Para usar este site, usamos os seguintes cookies tecnicamente exigidos

  • wordpress_test_cookie
  • wordpress_logged_in_
  • wordpress_sec

Decline all Services
Accept all Services