A MIPS está de volta!

“Compilo” para o Português o artigo, muito interessante, publicado por Junko Yoshida no website EETimes, sobe a MIPS, fornecedor de IPs para CPUs.

 

A MIPS voltou para Santa Clara, como uma empresa independente, com novos investidores.

 

As empresas americanas Tallwood Venture Capital e Paxion Capital Partners adquiriram a MIPS em outubro de 2017 da Imagination Technologies. Especula-se que uma terceira empresa irá se juntar ao grupo.

 

Em 3 de novembro de 2017 a empresa de investimento Canyon Bridge Partners completou a aquisição da Imagination Technologies Group plx, que ficou com duas linhas de produtos: PowerVR em processamento gráfico e Ensigma, na área de comunicações. Para que o governo americano pudesse aprovar essa transação, a MIPS teve que ser separada.

 

O pródigo retorno à “Bay Area” é uma boa notícia para todos os membros do time da MIPS, que passaram por maus momentos nos últimos anos.

 

A MIPS informa também que está voltando para suas raízes, na área de sistemas embarcados, realinhando recursos, explorando um espaço no mercado de Inteligência Artificial e buscando a autossustentabilidade.

 

O grande maestro desse retorno é o respeitado investidor Dado Banatao, sócio da Talwood Venture Capital e agora presidente do conselho da MIPS. Dado, um cidadão americano que nasceu nas Filipinas, tem uma longa história de sucesso no setor de semicondutores. Trabalhou na National Semiconductors (adquirida pela Texas Instruments), na Intersil (adquirida pela Renesas), na Commodore International (faliu em 1994), onde projetou o primeiro microcontrolador de 16 bits para calculadoras eletrônicas. Em 1981, desenvolveu na Seeq Technology (vendida para a LSI e agora na Broadcom) o primeiro PHY Ethernet de 10-Mbits em tecnologia CMOS. A ele se credita a invenção do conceito de barramento local nos “chipsets” para IBM PC-XT e PC-AT, e também a invenção do acelerador gráfico para Windows. Ele fundou as empresas Mostron (uma startup que não vingou), Chips and Technologies (a segunda startup, que vingou e foi adquirida pela Intel em 1997) e S3 Graphics (a terceira startup, adquirida pela HTC em 2011).

 

Majid Bemanian, diretor de marketing da MIPS, reconhece, em entrevista a Junko Yoshida da EETimes, que a MIPS perdeu o foco, identidade e presença no mercado, quando entrou para o grupo Imagination, que focou no mercado de plataformas móveis.

 

Quando a Imagination colocou à venda a MIPS, o time da MIPS se juntou e tentou criar um “mapa” para o retorno às raízes no mercado de sistemas embarcados. Eles sabiam que tinham muito para oferecer em suporte em tempo-real, arquitetura multithread, virtualização e segurança.

 

Não há dúvida que MIPS é uma arquitetura icônica. Mas a grande questão é: como permanecer relevante em um mercado com tantas opções? Só para lembrar (ficando apenas no mundo dos IPs): ARM, ARC, Tensilica e RISC V?

 

Kevin Krewell, analista da Tirias Research, em entrevista à Junko Yoshida, lista alguns dos desafios:

  • MIPS está perdendo suporte de sistemas operacionais importantes: Android e Windows;
  • Até os sistemas operacionais embarcados estão começando a abandonar a arquitetura MIPS;
  • O crescimento da arquitetura RISC-V ocupou o lugar como alternativa à ARM;
  • Muitos dos projetos de alto-desempenho para redes estão movendo para ARM64;
  • O suporte da Cisco está diminuindo.

 

No entanto, a MIPS conta com um bom número de clientes importantes: Microchip, Mobileye/Intel, MediaTek e Denso.

 

A Microchip oferece um bom portfólio de microcontroladores de 32 bits com arquitetura MIPS, mas a aquisição da Atmel colocou a Microchip em uma posição destacada no mundo ARM, principalmente no mercado de MPUs.

 

A MediaTek escolheu arquitetura MIPS para os modems LTE para smartphones, principalmente devido à tecnologia multithread, que permite melhorar a eficiência, o tempo de resposta e o consumo de energia.

 

A Denso está aplicando a arquitetura MIPS no mercado de veículos autônomos, e uma das razões é arquitetura de multi-cache coerente que pode processar 100 threads em um único cluster, o que permite melhorar a eficiência no processo de gerenciamento de cargas de trabalho distribuídas.

 

Outra área que a MIPS está focando é Inteligência Artificial. Processadores MIPS podem tratar cargas de dados no plano de dados, mas pode ser muito eficiente no gerenciamento de dados no plano de controle. Os cores MIPS podem fazer parte do mecanismo de inferência ou podem gerenciar aceleradores para GPUs e FPGAs.

 

Outra notícia importante, é que o professor John Hennessy, um dos fundadores da MIPS, está de volta, participando do Conselho Consultivo Técnico, junto com Pradeep Sindhu, fundador e cientista-chefe da Juniper Networks, e Steve Fu, antigo diretor de estratégia da Fairchild Semiconductors (adquirida pela ON Semiconductor).

 

O professor John Hennessy, da Universidade de Standford, é um dos precursores da arquitetura RISC, junto com o professor David Andrew Patterson, da Universidade da California em Berkley. Ambos são autores de dois livros sobre arquitetura de computadores, usados até hoje em vários cursos de computação ao redor do mundo, inclusive no Brasil. O projeto do primeiro ARM foi inspirado nos trabalhos do grupo de pesquisa liderado por Patterson, em Berkley.

 

Em uma apresentação para investidores, em 2015, a ARM apontou os principais mercados de IP para microcontroladores, como segue:

 

MIPS está de volta - Participação em 2015

 

Considerando que não houve muita alteração nessa tabela agora em 2018, está bem claro que o movimento estratégico da MIPS faz sentido.

 

A tarefa não é simples, já que a Synopsys tem investido na arquitetura ARC e a Cadence na Tensílica (turbinada pelo sucesso da Espressif nos chips WiFi), a competição será bem acirrada. O que é ótimo para o mercado! ALIA JACT EST!

NEWSLETTER

Receba os melhores conteúdos sobre sistemas eletrônicos embarcados, dicas, tutoriais e promoções.

Obrigado! Sua inscrição foi um sucesso.

Ops, algo deu errado. Por favor tente novamente.

Licença Creative Commons
A MIPS está de volta! por Rogerio Moreira. Esta obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.
Rogerio Moreira
Mestre pela PUC-SP Engenheiro pela FESP-SP Técnico em Eletrônica pela ETI Lauro Gomes - SPProfessor da Faculdade Anhanguera de Jundiaí.

1
Deixe um comentário

avatar
 
1 Comment threads
0 Thread replies
1 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
1 Comment authors
Pedro Ferreira dos Santos Neto Recent comment authors
  Notificações  
recentes antigos mais votados
Notificar
Pedro Ferreira dos Santos Neto
Membro
Pneto430

boa matéria. Estava procurando os MIPS no site da Imagination e não encontrei, Acabei "parando" aqui